Arraiano [adj. Que mora na arraia ou fronteira. Que é natural da fronteira]
O universo visual de Paulo Arraiano reside numa dualidade que funde o natural e o artificial,
natureza e urbanidade, emergência e criação. Na intersecção entre estes dois mundos
aparentemente opostos e exclusivos, conseguiu estabelecer um novo equilíbrio que emerge
da energia primitiva que flui entre um e o outro e se encontra na raiz da sua dialéctica visual.
Procurar a sociedade mesmo antes da referência “homem”. Um território, um corpo, a deriva
por fluxos de energia. O trabalho plástico de Paulo Arraiano tem vindo a debruçar-se sobre o
território imaterial e a sua ligação com o território físico: cartografias emocionais onde o corpo
age como uma extensão da natureza, através de um registo assente no movimento e na fluidez da
ligação à raiz, procurando trazer para a cidade a energia que esta tende a esquecer. No trabalho do
artista plástico, o desapego pela obra original enceta a deambulação emocional num novo corpo/
espaço dialogante, um cruzamento entre a cartografia urbana e os meridianos do corpo humano
num alinhar de premissas para uma obra de “acupuntura urbana”. Procurando pontos de conflito,
bloqueios, fluxos emocionais e energéticos a serem retribuídos ao espaço geográfico.

www.pauloarraiano.com

 
Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.